segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

O AMOR NAS CORES DE MIRÓ

Ela esperava dele algumas instruções, banalidades lúdicas, um sorriso terno. Sim, ela o fotografou num sorriso desses. Às vezes ela acha graça. Às vezes ela ensaia imagens doces em versos desprovidos de rima... Era a primeira vez que ela conhecia alguém que poderia ser um personagem seu. Em construções geométricas. Sem silêncios desnecessários. Em expressões idiomáticas.


23 comentários:

  1. Nem consigo comentar a altura. Só arrisco depois de umas cervejas depois do trabalho, que 'tals'? Mas é quase heresia não comentar que isso aqui é obra de arte. E nem tô falando da sua paixão por Miró heim.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Um dia eu ainda vo entender as poesias!!


    enquanto isso..vou treinando^^

    www.todoralodanumesgoto.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda que eu falasse a língo dos homens e falasse a língua dos homens, sem amor eu nada seria.

    O Amor não tem códigos, cores ou formas. O amor nada tem...

    Ó amor é!

    ResponderExcluir
  4. Tati, obrigado pelo carinho! :)

    Então, a idéia é voltar aos poucos, por isso que não postei nenhum novo capítulo. Gostaria de pode avisar todo mundo que visita o blog, porém fica complicado. o máximo que consigo fazer é divulgar em comunidades e outros lugares.

    Mas se quiser, pode assinar o RSS que daí tu será a primeira a saber quando voltar os capítulos! ;)

    Beijão e obrigado novamente!

    ResponderExcluir
  5. Gostei... Tipo Amor Platônico...
    ______________________________________
    Visite: http://opinenobog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. realmente não tenho capacidade pra chegar aos pés de uma 'poesia?' como essa. Muito lindo, o amor explicado em um pequeno ato.

    ResponderExcluir
  7. tati: quando fui comentar teu blog esperava algo extremamente lisergico. me decepcionei. espera algo diferente do lugar comum que os estados alterados da mente nos levam. desculpa. os poemas serao legais, liricos, mas caretas. um grande agraço
    www.mechupanaplacenta.blogspot.com
    www.benzineandmorfine.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. de + esse post.
    muito envolvente essa história...

    ResponderExcluir
  9. Vi uma exposição do Miró no MAC de Niterói. Bom, muito bom.

    Mas meu comentário seria sobre o texto, que traz qualquer coisa enigmática que encanta, como de costume...

    Aí me lembrei do Miró e me perdi todo.

    ResponderExcluir
  10. é...repito o que eu disse.
    www.blogdaincerteza.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Aulas de artes sao sempre uma viagem!

    ResponderExcluir
  12. O texto tem gosto de 'quero mais'...
    Abços

    ResponderExcluir
  13. Que lindo!
    Esse poema teve uma aparência de um amor verdadeiro que de alguma forma foi interrompido apenas na vida deles, mas não no coração.
    =)

    http://esperaemdeus.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Hj reslvi pretar atenção a fundo...
    cheguei a conclusao que eh bem triste esse seu poema...
    parece ser algo que temos mas ao mesmo tempo nao temos...
    tipo coisas da vida...que esta na nossa frente mas não conseguimos ter...por que motivo?...eis a questão

    ^^

    ResponderExcluir
  15. Personagem ou não... as cores das quais usamos em corpos lúdicos... emitem uma energia que emana a mais singela das cores.

    ...a que de fato nos propomos a ver.

    Neste momento eu enxergo um branco sem fim.

    Bjs moça,








    Novo Dogma:
    puni(A)ção...


    dogMas...
    dos atos, fatos e mitos...

    http://do-gmas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Viva Miró,
    em todas as cores.


    Em todos os sentidos!


    Abraços, flores, estrelas..

    ResponderExcluir
  17. Vou esperar ansioso pela continuação. Mas se ela não vier, tenho certeza que você tentou! :)

    Beijos e boa escrita!

    ResponderExcluir
  18. Tomara que sendo personagem não queira mandar na vontade dele! heheheh Pelo menos a pintura de Miró de uma caricatura!

    ResponderExcluir
  19. É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...

    ResponderExcluir
  20. a poesia está em tudo e em todos. Basta, saber sentir...

    ResponderExcluir
  21. Demais.
    Sério, consegui captar isso aí (coisa difícil).

    ResponderExcluir