terça-feira, 26 de março de 2013

TRAMELA



Ela, de fios curtos e brancos, já sentia o cansaço de ter pulado tantas janelas. O cansaço de ter guardado todos os segredos que não eram dela. O cansaço do discurso firme do silêncio. Um silêncio de quem já tinha ido embora. Um silêncio de quem cala, mas não consente. O cansaço de quem muito sente e nem percebe que o peso que saltou dos seus ombros já não existe mais.

13 comentários:

  1. se o segredo não era dela, de quem era?

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito esse texto, gostei de verdade.
    Seu blog parece legal, vou acompanhar e ver...

    ResponderExcluir
  3. Legal!
    Gostei do texto.
    http://poorquee.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. muito intenso o texto.

    http://mmelofazminhacabeca.blogspot.com.br/2013/03/metallica-e-orchestra-sinfonica-de-san.html

    ResponderExcluir
  5. Poxa que parabola legal! Gostei muito dessa maneira de descrever uma pessoa vivida!

    http://marretada.zip.net/

    ResponderExcluir
  6. Poucas palavras, muitas ideias. Gostei do texto. Abraços e sucesso com o blog!

    ResponderExcluir
  7. http://en4kdos.blogspot.com.br/
    blog de carros atualizadissimo quentinho.me segue que eu te sigo

    ResponderExcluir
  8. Esse silêncio é cruel: calar mas não consentir. Pior é quando se o silêncio for embora, entra o caos.

    Sempre que posso venho ao seu blog. Acho ele muito bacana e de uma leitura simples. Tá a fim de trocar links? Até porque preciso atualizar os do meu blog. É impressionante como têm blogs com uma vida tão efêmera.

    Bjs,
    Danilo
    http://blogpontotres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Bacana seu blog e o texto.

    bjo

    http://coisas-jujuba.blogspot.com.br/2013/04/novo-comercial-da-pepsi-com-beyonce.html

    ResponderExcluir
  10. Percebo que está numa fase fotocapilar!

    ResponderExcluir