terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O QUE VOCÊ FEZ DAQUILO QUE TE FIZERAM?!


Da alegria, fiz repetição, abraço e fotografia. Da trilha sonora, parte de mim, como quem toma emprestado por algum direito. Do e-mail-despedida disfarçado de literatura, tenho feito ponte, entre a minha vida e o que restou da vida dele. Da perda da cúmplice, amiga e avó tenho tentado fazer justiça ou alguma coisa menos dolorida. Do encontro com o Chico [o Buarque], felicidade. Do encontro com o Morrissey, a mais fantástica realidade. Do encontro com Ian McCulloch, continuação [em suspiros em sustenido]. Da maldade alheia, fiz depois de toda raiva, um manual de boas maneiras com luva de pelica. Do fim do mundo, recomeços e encontros com quem sempre esteve na minha vida. Da dor, fiz analgésico. Do entusiasmo, opioide. Do trabalho, verdade sem cansaço. Das minhas inspirações, literatura e intimidade. Da imaturidade, tentativa nem sempre exata de deixar a teimosia de lado. Da véspera, ansiedade. Do amor, taquicardia [mas sei que preciso aprender a transformá-lo em toda calma]. Do que acabou, fiz quase fim [ah, eu e meus “quases”]. Dos cafés, fiz até aniversário. Das coisas que ainda não sei, fiz bagunça [na minha vida e na vida dos outros]. Fiz tanta coisa do que fizeram mim, que me reconheço até em pedaços.

E o que eu espero que 2013 faça comigo?! Que me dê viagens com cenários incríveis, gente que valha à pena ao lado, literatura transbordante [a minha e a dos outros], mais shows pra me embriagar de alegria, mais trabalhos, saúde e fôlego para agarrar tudo e não deixar escapar nada que seja, de fato, importante. Quero fazer do que 2013 fizer comigo, as minhas versões de felicidade! Esqueçam meu discurso-manifesto em defesa da alegria do ano passado, pois defendê-la por um ano todo bissexto exigiu de mim dores que não quero que repitam. Quero mesmo é ser feliz, sem precisar brigar para ser. Quero discernimento para escolher sempre, pois lá de cima do muro a visão pode ser boa, mas não me inclui na brincadeira. E como disse Sartre,  não somos aquilo que fizeram de nós, mas o que fazemos com o que fizeram de nós.

12 comentários:

  1. Opa esse é uns dos post mais bacanas que já li na blogosfera. Começando pelo título do seu blog, farmacologia pura!
    Sobre o post o que eu posso dizer, que é um poema magnífico, onde se expressa aquilo que queres para 2013. FELIZ ANO NOVO!

    ResponderExcluir
  2. Todo mundo espera que novo que se entar sempre supere o ano anterior.

    ResponderExcluir
  3. É legal como nos sentimos renovados a cada ano que começa! E que seja tudo novo, de novo!!

    Gabriella Reis
    http://www.facebook.com/ehcorderosachock

    ResponderExcluir
  4. É muito legal esse sentimento de se sentir renovado, com esperanças de uma vida melhor que o ano novo trás, mas pena que é só uma vez por ano

    http://skirtblush.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Vindo retribuir a sua visita ao meu blog, como já te disse anteriormente eu adorei esse seu post! FELIZ ANO NOVO!

    ResponderExcluir
  6. postagem legal....2013 começa...agora vamos fazer valer a pena,,,

    ResponderExcluir
  7. E digo mais...o que fez com tudo isso...transformou em inspiração e dessa inspiração transformou-a nesse blog maravilhoso , que adoro acompanhar. Sabe que adoro a forma como brinca com as palavras...parabéns...acho que de novo...rsrsrs

    ResponderExcluir
  8. Daquilo que tentaram me fazer, tentei fazer a mim mesma... Sua escrita é inspiração!

    ResponderExcluir
  9. LINDO! É o que eu consigo escrever nesse momento. Que seu 2013 seja iluminado!

    Abçs!
    http://blogpontotres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oiiieee...passando aqui pra te visitar concordo com a Aline ness aparte "Daquilo que tentaram me fazer, tentei fazer a mim mesma" muito boooa!!!
    (Video Novo) Favoritos de 2012......Siga que eu te sigo tb!!!!
    http://www.youtube.com/watch?v=bBlzHs0kvgU&list=UUFVMO2BmAn579qCxq_5uArA&index=2
    www.makeolatras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir