quinta-feira, 3 de maio de 2012

ELE ERA UM COPO D’ÁGUA EM 3MG ESQUECIDAS DE RISPERIDONA


Ele a amava. Ele a desejava. Ele a temia. Ele brigava com ela em silêncio. Em longas gritarias imaginárias. Ele a assustava. Ele a ameaçava entre trancos, barrancos e delírios. Em suicídios fictícios. Ele fez dela crise. Ele fez dela romance. Ele fez dela amor no futuro de todos os pretéritos. 

Teriam sido felizes se não fossem eles.

11 comentários:

  1. Gostei das palavras.. Embora não saiba bem o que comentar. Acho que o texto me deixou muda - no bom sentido.

    ResponderExcluir
  2. AAAAH, muito incrivel seu texto. Me senti nele. :D
    O que necessariamente é ruim pra mim.

    ResponderExcluir
  3. realmente, bem interessante...abçs

    ResponderExcluir
  4. Eu já falei o quanto amo seus escritos? Sério, dá vontade de mostrar pra todas as minhas amigas... Realmente, a forma como você escreve e descreve os sentimentos me encanta. Lindo. <3
    Beijos!
    Wink

    ResponderExcluir
  5. Meu, gosto muito desses textos!
    Parece algo platônico de um cara que amava uma mulher que era de muitos.
    Abraços.




    http://alteregodonuti.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Quando se trata de um casal hetero fico legal a construção, por causa dos ela e ele. Já tentei escrever algo assim com dois meninos e precisei encontrar outros pronomes, rssrs

    ResponderExcluir
  7. Coitado dele...ele tem que encontrar o ele novamente para encontrar a nova ela.

    Escritor de Brinquedo
    >>EDB2012<<
    http://escritordebrinquedo.blogspot.com.br/2012/05/o-verdadeiro-cristianismo.html

    ResponderExcluir
  8. Me pareceu algo platônico minha interpretação do texto rsrs
    vc descreve as situações muito bem!

    ResponderExcluir