quarta-feira, 6 de outubro de 2010

ABSTRAÇÃO

Às vezes a gente gosta tanto de uma pessoa, que chama isso de amor. E depois acrescenta um predicado. E dá a ele uma história. Uma trilha sonora. Carinho. Diálogos e silèncios [des]providos de métrica.
Às vezes a gente acerta. E nem sempre sabe o que fazer.

17 comentários:

  1. Amor, há tantos tipos...
    O amor que um homem sente por uma mulher, por exemplo, nos deixa sem saber o que fazer, como você disse, já o amor fraternal nos dá certeza mesmo sem estarmos certos.
    O amor é um tema inesgotável.
    Agora ficar falando da careca do amigo é falta de amor...hahaha!!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Talvz por gostar tanto de alguem hj, tente caminhar entre o saber esperar e deixar acontecer ou lutar e pagar pra ver!
    O resultado seriam outros 500!
    abs

    ResponderExcluir
  3. Bruno: concordo, o amor tem várias formas. As pessoas costumam, quase que sem querer, achar que quando falamos de amor, falamos de um relacionamento entre um casal, mas não é sempre assim...

    Dona: esse é um texto de ficção. Não existe uma situação específica. É exercício literário.

    ResponderExcluir
  4. Amor, essa coisa que nos abate e deixa sem direção ... É preciso tomar cuidado para que o predicado, história, trilha sonora e etc não seja invenção nossa senão estamos mesmos perdidas!

    ResponderExcluir
  5. Com ceerteza é por ai que algumas pessoa acham que as coisas funcionam. A grande porcaria é que bem depois da burrada feita elas percebem que émuito mais do que imaginam e que não era nada daquilo que acreditavam...

    ResponderExcluir
  6. curto e direto. muito bom. e deixa claro como as pessoas se enganam. as vezes, as pessoas confundem desejo ou fixação, com amor. E são coisas completamente diferentes.

    ResponderExcluir
  7. Ah, vamos indo, montar uma historia. Se não, não haveria historia.


    O amor é se entregar.


    :D


    Eu to me entregando a um, a estamos montando uma historia, nela não sabemos o final, e ate melhor.



    :)

    ResponderExcluir
  8. O que fazer em relação ao amor? E mta pressão em cima das atitudes relacionadas a este assunto, pois cada erro é drama, é tragédia...um descuido vira lágrimas...

    É a gente nem sempre sabe o que fazer, mas a gente faz, a gente sempre faz alguma cosia...

    Um abraço querida, ótimas palavras...
    http://estevespensando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Outras a gente inventa.
    Adoro um amor inventado....
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. E muitas vezes não conseguimos gostar de ninguém e nem fazer que gostem da gente.

    ResponderExcluir
  11. Voltando!!
    E o amor que morre? Ou o que nunca nasceu? Como disse o Neurotic, ainda há o porém de quando não se consegue nem amar nem ser amado ... há tantas formas para o amor que podemos perder dias falando sobre ele.

    ResponderExcluir
  12. são todas coisas passageiras...e tudo volta.

    ResponderExcluir
  13. Uma das coisas que mais gostei na filosofia de Santo Agostinho foi isto: Faça o que fizer, faça-o com amor!

    ResponderExcluir
  14. Eu "brinco" de escrever, mas você escreve MUITO bem. É sempre bom voltar aqui!

    Beijos pra ti

    ResponderExcluir
  15. És perfeita moça! Dizer a verdade é para poucos. Dizer que o amor é cruel é para quem tem coragem.

    Bjs e para o bem ou para o mal estou de volta.. rs

    ResponderExcluir
  16. O maior desafio do amor não é conquistar a pessoa amada, mas saber renovar o amor, manter ele intenso todos os dias. O amor é fogo que só os sábios e românticos sabem manter aceso por muito tempo. ^^ Nos tempos modernos essa chama acende e apaga muito rápido. Vontade de viver os romances antigos. ...hihihi...

    Abraços!!!

    http://neowellblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  17. Adoro teus textos. Esse é simples e direto. É exatamente assim... Amor deve ser sempre bem vivido, e seus acertos aproveitados!

    ResponderExcluir