domingo, 2 de setembro de 2007

VELHA INFÂNCIA

Um dia você acorda, come sucrilhos com leite gelado, percorre perscursos repetidos, volta pra casa com a intenção de adiar o sono para estar ao lado do seu melhor amigo e recordar lembranças guardadas [carinhosamente] em caixinhas coloridas. Daí você adia mais algumas horas e descobre, quase que sem querer, que sentimentos que pareciam certos e maduros são tão frágeis quanto à tigela vermelha com sucrilhos. E neste instante, tudo que você precisa é de um sorriso, um abraço, um colo. Mas não é qualquer sorriso. Não é qualquer abraço. Não é qualquer colo [...] Você precisa da sua velha infância, escondida numa caixinha de rivotril.

21 comentários:

  1. Que saudade da minha infância, nem me fale, pois sou muito saudosista.
    Adorei seu blog! beijos!
    www.horasvagas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. hahaha engraçado... texto de uma simplicidade tamanha que eu gostei!

    Gostei mesmo. E é certo que muitas caixinhas de infancia se encontram dentro da caixinha adulta de rivotril...rs

    mas de vez em qdo é bom resgata-la de outra forma, nao?

    bjssss

    ResponderExcluir
  3. Da infância lúdica que surge o adulto criativo.
    E como é bom relembrar dos sentimentos que só são cultivados na infância, e que fora dela parecem tão externos e estranhos(colo, beijos e abraços).

    Gostei do seu blog e obrigado pelo comentário sincero no meu!

    abraços
    t+

    ResponderExcluir
  4. Thiago Quintella02 setembro, 2007 06:59

    Pecorrer percursos repetidos... gostei muito dessa frase! E ao terminar o texto... a saudade da infância num remédio adulto!!

    ResponderExcluir
  5. pois é... eu tb sinto falta de coisas simples. algodão doce é uma delas. tou morrendo de vontade de comer de novo, rs...!
    e ainda não li o seu livro, não me mate nem se chateie comigo, pls... a semana foi corridaça pra mim e hj é que tou tentando pôr as coisas em dia...

    beijos muitos!

    ResponderExcluir
  6. Só podia ser vc mesmo né moça?? rsss.. rivotril.. nada sui generis, n é?

    Lindo, poético.. real.. ou somente devaneios?

    Déjà vu...

    ResponderExcluir
  7. Belo texto SIMPLES, PURO, VERDADEIRO.

    Qual de nós , não tem estes devaneios nostálgicos?

    Eu tenho sempre...
    Mas, sem a tigela de "Rivotril" .

    Mesmo pq não sei o que venha a ser "Rivotril"
    kkkkkkkk.....

    []s L.sakssida

    ResponderExcluir
  8. Pena que são frágeis, não é?! =(

    ResponderExcluir
  9. Droga.. senti um incrivel deja vu agora

    Essas sensações me trazem uma saudade e ao mesmo tempo uma carencia tão grande.

    Parabens pelo blog!

    ResponderExcluir
  10. Putz nem me fale de saudades da infância.
    A minha foi maravilhosa e tenho saudades dela a todo momento.
    Vivo ela a todo momento.
    Sou um eterno peter-pan.

    Blog Esponja ®
    www.blogesponja.net

    ResponderExcluir
  11. Tati querida!!!
    Lindo texto como sempre!
    Minha infância apesar de atribulada,me traz grande saudade.....
    Bjo =]

    ResponderExcluir
  12. Acho que não é bem da infância que vc sente saudades, mas do colo especial que marcou aquela infância!

    Sabe, não sinto saudades da minha infância. Acho que não foi uma época tão boa assim, por diversos aspectos... Um dia te falo sobre isso, mas não se preocupe, não fui abusado, nem abduzido, muito menos mal-tratado, hehehehe. Simplesmente passou. Não me recordo com muito carinho de nada em especial.

    Como te disse uma vez, gostaria de ter esta nostalgia que vc sempre demonstra. Por muito tempo me martirizei por não ter lembranças tão boas - de colos tão bons, por exemplo. Hoje acho comum. Acho que cada um experimenta sua própria vida.... E sigo adiante tranquilo... O que mais me faz falta são, justamente, meus 25 anos! Heheheheheheheheh

    Beijos, saudades,

    GE!

    ResponderExcluir
  13. PS - eu entendi o que DEVE ser rivotril, pela sutileza com que apareceu no texto.... mas depois me passa exatamente o significado destas letras, quem sabe podem ser puteis num futuro n�o muito distante, hehehehehehehehe

    ResponderExcluir
  14. opa... saiu errado! úteis! (no meu teclado português da terrinha, o acento é do lado do P. Daí saiu essa pérola: puteis hehehehehehe

    ResponderExcluir
  15. bem bonitinho o post :)

    ResponderExcluir
  16. Perfeição nas palavras vulneráveis...

    ResponderExcluir
  17. Profundo , bom relembrar

    http://umfeijao.wordpress.com

    ResponderExcluir
  18. um texto curto, mas ao mesmo tempo muito profundo... Ah, a infância, o passado... Tão doces quanto algodão-doce, não é verdade?

    Gostei muito de seu espaço, e voltarei mais vezes.

    Beijos, and...

    Muito obrigado, vamos almoçar

    ResponderExcluir
  19. Thiago QUintella07 setembro, 2007 10:42

    é claro que pode incluir meu texto lá nos amnuais cortazianos... eles estão sempre concoso e até escrevo sobre ele agora, quer dizer, com ele hehehheh

    ResponderExcluir
  20. Oi tati!
    Fiz um nvo blog
    http://soudestro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. .

    Que texto lindo!

    Inspiradíssimo, em todos os Sentidos.





    Abraços, flores, estrelas..

    .

    ResponderExcluir