segunda-feira, 20 de julho de 2015

MINHA CARTA DE AMOR



Eu sempre te dou chances. Você sempre me desafia em outro corpo, em outros endereços, em outras histórias que passam a ser minhas por direito, gritarias e sussurros, e ainda assim acredito que [te] colecionar me faz melhor. Eu sempre te faço literatura quando não consigo fazer para sempre, mas me recuso a te fazer conto de fadas porque acho uma bobagem considerar que qualquer fantasia sobre você seja melhor do que a nossa realidade, ainda que seja uma realidade desajeitada e que acabe antes do final feliz, num mal entendido bobo qualquer.

Não é por nada [mas por tudo!] quero que saiba que sempre te fiz grande, mesmo sendo suficiente em qualquer espaço de mim, e por isso quero que fique. Preciso de você em mim para continuar. Preciso do pelo arrepiado ainda que você, vez ou outra, insista na sua rima pobre, monossilábica e que tento fazer rasa. Sei que parece prepotente da minha parte o que vou dizer agora, mas também tenho coisas boas para te ensinar, e a minha versão sobre você em nós deveria ser levada em consideração.

Pelo menos fique e [me] escute. 

[NOTA: #minhacartadeamor é um projeto desses de toda lindeza da Dani Arrais. É um convite para que você escreva o que aprendeu com o amor até hoje e por mais clichê que o amor possa parecer [e ser] na vida da gente, ainda é ele que nos move. A publicação oficial está Instagram do projeto. É só clicar no link: https://instagram.com/p/5XUsULMDCq/]

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "Você sempre me desafia em outro corpo, (...)
    a minha versão sobre você em nós deveria ser levada em consideração."

    Eu simplesmente adorei essa construção sua, pois me trouxe um turbilhão de versos a mente. Gosto da forma como escreves. Andei meio distante, mas estou voltando e pretendo ler coisas suas. Esse texto me inspirou hahaha

    ResponderExcluir