domingo, 21 de dezembro de 2014

CORAÇÃO




Sempre prestes a explodir entre sístoles mal educadas e diástoles de toda ternura, ela confunde os corações mais distraídos que insistem em versões distorcidas dela. De tanto marcar passos, garantiu alguma beleza na dança de improviso entre o vai e vem dos seus impulsos, que por tantas vezes premeditou e fingiu acaso. Por sentir muito, deixou o que era casa para se repetir em outro lugar. Um lugar que pudesse fazer veraneio. Um lugar que pudesse exibir a intimidade semilunar dos seus pontos finais que insistem em largos traços. Um puxadinho sentimental para ocupar o que [nela] transborda sem jeito, com toda eira e delicada beira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário