quinta-feira, 9 de agosto de 2012

UM ROTEIRO DE INTRIGAS PARA FELLINI FUMAR


Não, não sou o que você pensa. Tão menos o que você quer. Não faço parte do seu mundo, dos seus surtos, da imensidão de tempo vazio que te veste. Não quero conversar. Não quero olhar como Capitu. Não quero transformar em romance ou tragédia o que me parece comédia. Não sei se te contei, mas não gosto das comédias. Não gosto do que faz rir. Valorizo os sorrisos. E a diferença entre os dois não é sutil.

Não, não sou sua história de amor, de dor, nem de nada. Não sou enredo, contexto, nem pretexto. Não sou desculpa. A minha maneira de dizer é esfarrapada, mas não é desculpa. E ainda assim você me culpa por aquilo que não somos, não temos e não conjugamos em primeira pessoa. Não tem plural aqui. É a minha versão e a sua. Separadas. Separadas o suficiente para que você não faça como Bentinho, que fez da sua versão de Capitu, a versão original.  

E quer saber?!  A vida que você quer não cabe no perímetro depurado machadiano.  Se Bentinho fez de uma parte, o todo, é porque a obra era prima. E em você não cabe a dúvida espetacular, tão menos a ironia em verso cheio de métrica perfeita que obrigaria Fellini a tragos e estragos. Aqui, cabem todas as certezas. Do que não quero, do que não sou, do que não pretendo.

[“Um roteiro de intrigas para Fellini fumar” 
é um das minhas ironias prediletas do Lobão, em “Rádio Blá"]

11 comentários:

  1. Caramba, Tati! Não tenho certeza se é a primeira vez que visito teu blog - o layout me é familiar -, o que é estranho, porque pelo jeito tu escreve como poucos. E é sempre tão bom conhecer bons escritores. :) Com certeza volto aqui mais vezes.

    Parabéns mesmo. :3

    :*

    http://hey-london.net

    ResponderExcluir
  2. Relacionamento, amor... tudo faz parte de um contexto... enredo tão complicado que não podemos explicar.

    Parabéns pelo blog!!!

    ResponderExcluir
  3. O Blog é aconchegante como poucos.

    O texto é incrível. '' Não quero olhar como Capitu.'' - Pouca gente diria isso. Pouca gente teria coragem de não olhar como Capitu!

    [Lobão como sempre irradiando. ^^ ]

    ResponderExcluir
  4. Texto maravilhoso, poético, perfeito!

    ResponderExcluir
  5. Texto curto e direto. é como o tal do "falou pouco, mas falou bonito." Gostei!

    Abraço. =)

    ResponderExcluir
  6. Maravilha, adoro os títulos que dá para seus textos, realmente são originais. Parabéns pelo estilo.

    ResponderExcluir
  7. E daí surgem os personagens mais complexos e completos...

    ResponderExcluir