sábado, 3 de dezembro de 2011

DUDUÍSMO

Hoje encontrei um amontoado de letras e composições do Dudu datadas de 2005 à 2010 nas minhas gavetas. Alguns emails em que ele me ensinava métrica para compôr e me dava bronca por rima ruim, que é bem pior que rima pobre. Eu e o Dudu acumulamos longas horas de conversa sobre a vida. Sobre arte. Sobre sushi e Nouvelle Vague. Acumulamos risos não contidos. E alguns roteiros [às vezes tensos] da não-realidade que ele provocava. No auge dos meus vinte anos, emprestava a minha vez de falar para que pudesse saber mais daquele homem-menino que vivia todas as vidas que lhe cabia e transbordava. Daquele que esteve presente nos riffs dos principais nomes da música brasileira. Da mineirice de Milton Nascimento ao jazz das esquinas cariocas. Eduardo del Águila Caribé de nascimento. Dudu Caribé dali em diante. Durante a vida, praticou a Guerra Santa e terminou ateu. Um dia me disse que queria mesmo era fundar o Duduísmo. Chegou a rabiscar alguns rascunhos: Tinha gosto de vinho tinto, e tato confundindo paladar.

16 comentários:

  1. Texto bem escrito e intenso. Algumas pessoas realmente nos impressionam, afetando-nos de variadas maneiras, parecendo não caberem dentro de um corpo, ecoando por todos os gestos.

    ResponderExcluir
  2. Belo texto, parabéns.
    www.tecknews.co.cc

    ResponderExcluir
  3. Há pessoas que marcam a nossa vida devido a suas personalidades extremamente fortes e diferentes. Parece-me que o objeto de assunto do seu texto é uma delas.
    Bjo.

    http://miasodre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. dinâmico e intenso!
    ... as vezes gostaria tb de criar os meus próprios "ismos"!

    ResponderExcluir
  5. Ha, gostei! Essa coisa de guardar coisas passadas e relembrar, pessoas que marcam nossa vida... ótimo post, reflexivo e criativo.

    ResponderExcluir
  6. Nossa adorei seu blog!
    Minha cara =D
    Topa parceria???

    Último dia do sorteio no meu blog, valendo o mascote personalizado do blog + um presente surpresa, corram lá que ainda dá tempo ;)

    http://aquelaquenuncasabe.blogspot.com/2011/11/1-sorteio-do-blog.html

    ResponderExcluir
  7. Que lindo! Quero uma companhia assim!Quero ter alguém assim... Mas tá tão dificil ):

    http://www.papel40kg.com/

    ResponderExcluir
  8. Sou um adepto do Duduismo!!! Lembro dos nossos papos, sempre regados a álcool. Tenho orgulho de dizer que sou amigo do nosso querido e eterno Dudu Caribé. Orgulho também por ser amigo da Tati Pereira, Autora dessa bela homenagem ao nosso amigo Dudu.
    Abrax. Inté. (era assim que ele se despedia e como forma de homenagem, sempre me despeço assim)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que o Dudu seja sempre lembrado dessa forma: como artista e como um grande amigo que nos inspirava e nos provocava! Orgulho de nós, Bruno!

      Excluir
  9. Ótimo o seu blog e parabéns! Me mantenha atualizado dos seus posts...
    Abraço

    Twitter: @maskaradu

    ResponderExcluir
  10. Existem duas formas de destruir a misericórdia: eliminando o pecado e eliminando o perdão. Estas são precisamente as duas atitudes mais comuns nos dias que correm. Numa enorme quantidade de situações não se vê nada de mal. Naquelas em que se vê, não há desculpa possível. As acções do próximo ou são indiferentes ou intoleráveis. O que nunca são é censuradas e perdoadas. O que nunca se faz é combinar o repúdio do pecado com a compaixão pelo pecador.

    ResponderExcluir
  11. Oi... no meu painel do blog, aparece uma nova postagem sua, porém quando clico para lê-la aqui, diz que a página não está disponível... ????

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Rs...
    O que será que leva alguém à se tornar ateu? Eu acho que a incredulidade é o medo de acreditar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que leva alguém a fazer guerra em nome de deus?!

      Excluir