sábado, 25 de junho de 2011

DIZEM POR AÍ QUE SE NÃO HÁ COMEÇO, NÃO PRECISA TER FIM

Ela premeditou cada parágrafo. Cada sentença não dita. Cada desculpa esfarrapada. Cada tentativa de começo. Cada delírio de despedida. Também ensaiou alguns discursos. Um quase-manifesto do amor que nunca foi usado. Uma quase-lista de razões disfarçadas de motivos. E tentou olhar nos olhos por mais tempo do que todos os antes, afinal, ele era do tipo intenso. Ele perceberia. Ele perguntaria. Ele olharia nos olhos por mais tempo do que todos os antes.

[E ela não entende em que momento o futuro do pretérito tornou-se condição]

13 comentários:

  1. CLARO QUE NÃO
    AS COISAS BOAS NÃO TEM FIM!

    ResponderExcluir
  2. Tati, como sempre dizendo muito em pouco!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do texto, muito bonito! Também concordo com o 1º comentário!
    Parabéns pelo blog! Abraço!

    Comente no meu blog também:
    http://enricows.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Texto pequeno mas que diz muita coisa ... ótimo .

    http://andyantunes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá, amei o blog !!! E estou te seguindo, me segue?
    http://liguereforma.blogspot.com/
    obrigada !

    ResponderExcluir
  6. Ás vezes, as coisas já estão acabadas e não percebemos.Gosto de pessoas intensas.

    ResponderExcluir
  7. ESPERO VC
    VC VAI CONTINUAR FAZENDO MUSICA?

    ResponderExcluir
  8. Dificilmente percebemos ou entendemos o fim.
    Você escreve muito bem, de verdade.
    Parabéns pelo seu talento!

    ResponderExcluir
  9. Li em algum lugar que quando imaginamos um começo, determinamos o fim.
    E no fim, todo dia é um término que nos possibilita um [re]começo.

    Perfeito... sempre.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. ai, mas assim é pensar no ruim, é ótimo quando não tem fim, mas tem começo! :] http://apaixonadasporcosmeticos.blogspot.com/
    Curta Apaixonadas por Cosméticos no Facebook
    @Ap_Cosmeticos

    ResponderExcluir
  11. Ótimo texto, frequentarei mais aqui, rsrs.

    ResponderExcluir
  12. Certamente, lindíssima, não acaba o que nunca começa. Um "amor" assim inspirando preparações neuróticas por causa de futuros do pretérito... é um que nunca foi, que jamais principiou. Amor que é amor paira no presente que é bem indicativo. Beijocas e sucesso no blog!

    ResponderExcluir