quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

PRESSUPOSTOS SEMÂNTICOS

Ele provoca a minha sintaxe. Falta saber se é de caso pensado. Faz-me ler o que parece óbvio e logo em seguida me provoca atenção, que logo é substituída pela dúvida. Logo eu, que me encantei pelas pausas entre os cafés, pelos detalhes da sua sutil coerência, me fez ficar na dúvida. E fez isso usando a gramática. Justo ela que pensei que dominava. Golpe baixo! E ao mesmo tempo, odiaria saber que tudo não passou de um engano da preposição. Que por distração, quis fazer uso da preposição acidental. Ou então da conjunção comparativa.

De uma vez por todas: quero que seja preposição essencial, como estava escrito. E traga logo o vinho.

18 comentários:

  1. Vale a nota: exercício literário baseado em fatos reais!

    ResponderExcluir
  2. Caramba, a analogia é incrível! E imagino que o fato real em que você se baseou tenha sido tão emocionante nas entrelinhas da gramática quanto o texto.

    Abraço! ;)

    http://anpulheta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá querida, parabéns! Adorei suas palavras e como você as colocou.
    Beijinhos

    http://bruuhloira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. QUE LEGAL ESSE SEU JOGO DE PALAVRAS USANDO ESSES TEMAS DE PORTUGUÊS, VC ESCREVEM BEM E TÁ DE PARABÉNS PELO BLOG, MUITO LEGAL.

    ResponderExcluir
  5. "... um objeto direto na cabeça..."
    Não me lembro como começa e como termina esse trecho do poema de Leminski, mas seu texto me lembrou tal texto.
    Muito legal o jogo de palavras.
    Parabéns!

    bjinh

    ResponderExcluir
  6. adorei o post
    parabéns pelo blog
    http://vivaiona.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Muito bom! Esse jogo de palavras ficou excelente e as analogias são incriveis!

    ResponderExcluir
  8. Letras, de quando em vez, são intragáveis. Ainda mais querndo o vinho!

    ResponderExcluir
  9. Sabre dominar as palavras é excencial e você domina muito bem.

    ResponderExcluir
  10. Esse ele, do "Ele provoca a minha sintaxe.", é magnético. Quem será ele? Não foram suas palavras que se deslocaram, em sitaxes, mas sim você. Ele fez você entrar em ritmo de sintaxe, virar outra cosia de si própria.

    ResponderExcluir
  11. tudo começa com um bom vinho...rs....depois dai...e outra storia...eee

    ResponderExcluir
  12. "Te exponho como obra de arte. Cometo delitos gramaticais, pessoais e te faço sentimento. Te faço território ocupado. Te empresto linguagem precisa. Te faço descaso. Te exagero e erro. Te ocupo de olhos curiosos e de versões [des]cabidas de verdades. Te faço desculpas. As peço também. E te acomodo em algum [in]cômodo." Dos que eu li, esse foi o texto mais elegante e sensível que você já escreveu! Fiquei tocado ao lê-lo.

    ResponderExcluir
  13. Um bom vinho e a conversa flui fácil

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. E fica o desafio...Ler ao pé da letra,ou interpreta-se ...Tem coisas que li (vivi),que também,até hoje volto à página para ler de novo e tentar compreender,principalmente as pausas...Mrlhor trazer o vinho mesmo,rs!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  15. Nossa, há quanto tempo não passo por aqui!!

    Agora não te perco mais de vista.

    Este texto nos faz pensar em n coisas. Talvez alguém que tire as palavras da nossa boca...rsrs

    A fim de trocar links? Será um prazer tê-la como parceira.

    Abçs!!

    Danilo Moreira

    http://blogpontotres.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. As preposições acidentais me causam menos medo que as vírgulas mal colocadas...

    ResponderExcluir
  17. Belo texto, fazendo o uso devido da nossa língua Portuguesa.

    ResponderExcluir