terça-feira, 27 de julho de 2010

ENSAIO SOBRE AMORES PEQUENOS

É disfarce. Tento recompor as minhas falas. Tento dizê-las com harmonia para te convencer. Para te entorpecer. E ainda assim é disfarce. Não é mentira. Não é faz-de-conta. Não é vazio. É disfarce. É constrangimento por não caber em nós o que só existe em mim. É desperdício, por não achar confortável o que há em você. É disfarce. É lingua estrangeira. É barulho. É absurdo. Quase absoluto. É um amontoado de misérias disfarçadas de afeto. É disfarce. É ensaio sobre amores pequenos.

30 comentários:

  1. E o disfarce só nos destrói lentamente, e por pouco tempo acaba com um amor desses pequeno... mesquinho, mas que insiste em existir no disfarce, na tentativa falha, que não convence a ninguém, mas engana.

    Pois há de convir que entre convencer e enganar há uma diferença trivial.

    Blog maravilhoso, parabéns!

    http://know-the-unknown.blogspot.com (em inglês)

    http://hopelesswind.blogspot.com (em português)

    ResponderExcluir
  2. Porradas características! Tomadas pelos leitores, e pelo autor?

    ResponderExcluir
  3. Miséria de afeto! Grande Tati!

    ResponderExcluir
  4. Os pequenos amores são os mais tinhosos. Num momento nos trazem alegria e bem-estar, em outro nos aflige e nos remete a uma terrível dependência do outro.
    Até mais...

    ResponderExcluir
  5. Pequenos amores, pequenas dores?
    Sei não...

    Passeando te achei e gostei muito daqui!
    Voltarei...

    Beijo doce!

    ResponderExcluir
  6. O amor é danado mesmo. Ainda mais nestas circuntancias.

    ResponderExcluir
  7. Eita, matou a pau . Muito foda. Adorei :D

    Está de parabéns mesmo :O

    ResponderExcluir
  8. Muito bom! Gostei desse ensaio-poema, digamos assim.

    Parabéns!

    Adilson
    http://ceucaindo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Disfarces só transmitem a imensa desnecessidade do querer! E o querer, moça querida, tem tantas amplitudes quantas inconveniências.

    Bjs moça e bom dia!

    ResponderExcluir
  10. ...no entanto imensa a poesia por trás das palavras confessadas.

    Sigo você e convido:
    www.espaçointertextual.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Sim.

    Eu sempre achei que todo ensaio é uma tentativa de disfarce.

    ResponderExcluir
  12. olha minha cara o amor é doença que agente gosta de ter, se não tivesse-mos não escreveríamos mais ^^

    gostei lembra dos formato que eu uso na composição dos meus fragmentos

    olha estou concorrendo a melhor blog na Caregoria LITERATURA do VI concurso Eu tenho um Blogcom o tallesazigon da comu Eu tenho um Blog, se você achar que mereço o seu voto fico agradecido. abraços

    ResponderExcluir
  13. Meu Deus!

    Breve e intenso.
    Texto perfeitamente no ponto, nos leva além do simples emocionar.

    Parabéns.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. "É constrangimento por não caber em nós o que só existe em mim"

    Nossa isso é forte heim? Realmente me surpreendi ao ler.

    Gostei da maturidade como escreves minha cara, meus parabéns.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Tati..."É constrangimento por não caber em nós o que só existe em mim."
    Não sei se isso é de uma simplicidade profunda ou de uma profundidade simples. Qtas vezes eu quis achar essa frase dentro de mim e não consegui. Arrebentou! Bjos.

    ResponderExcluir
  17. indescritívelmemte perfeito.
    texto pqno, mas disse tdo!
    :D

    ResponderExcluir
  18. Talvez não seja disfarce, apenas charme. Ótimo blog, se houver tempo, visite o meu e será sempre bem-vinda.

    http://duda-oliveiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Tem força e confusão em doses medidas! Amores sim, mas nada de pequeno, aliás, existe amor pequeno? Amor é amor e só!

    Visite: http://pontapedepartida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Tatii ! Que maravilhaaaaaaa esse texto ! Lindo, bem feito de grande expressao,,,eu roubei ele ta kkk, deixei guardado aqui no meu note, porque axei super bom! Destaque para frase: É um amontoado de misérias disfarçadas de afeto. Uaaaau, mais que aHazou,,,,è bom passar por aqui, e sempre ver estes textos de bom gosto,,,tenho que te perguntar, sao seus? beijos queridona!
    rafa storch

    ResponderExcluir
  21. Nossa amiga entao tais de parabens! Voce è uma grande escritora!!! todos os textos sao perfeitos, e pega la no fundo sabe,,,parece que sou eu falando ! Tenho um programa de tv aqui no sul e semana que vem, sexta feira vou acabar o programa finalizando com a sua penultima postagem, e vou colocar o endereço do blog okay ! eu ameiiiii, parece eu falando,,,beijao, sucesso !

    ResponderExcluir
  22. Mando sim amiga, pode deixar,,,nao tenho muitas coisas no youtube, porque nao tenho conta, mais vou pedir pro pessoal da produtora postar o finalzinho do programa quando eu ler o texto,,,beijao !

    ResponderExcluir
  23. Gosto dessa escrita telegráfica. Valeu. Abraços e sucesso com o blog!

    ResponderExcluir
  24. nossa, que coisa linda... da vontade de nem parar de ler, parabens, escreves muito bem

    http://gyzellecherry.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. Olha, como eu fico feliz em deparar com postagens como essa. è muito talento. Você consegue com poucas linhas, muita objetividade e a medida certa de poesia, expressar coisa muito profundas... Lindo demais.. parabéns de novo... Já comentei em outros textos aqui!

    Abração

    http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  26. "Cada qual ame a seu modo,
    o modo pouco importa,
    o que importa é amar."
    (Drummond)

    Abração amigo.

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Não há disfarces... da mesma forma que não há amores pequenos.

    Mesmo quando tentamos faze-los.

    Beijo!

    P.S. Posso levar pro www.marcandocaminhos.blogspot.com?

    ResponderExcluir
  29. Ótimo, Tatiana.

    Li outros textos seus aqui. Em todos você demonstra um ritmo muito bom, e neste ENSAIO SOBRE AMORES PEQUENOS ele se impõe, com muita força e naturalidade.

    Beijos

    ResponderExcluir