domingo, 6 de janeiro de 2008

EPISÓDIOS MEUS, EPISÓDIOS TEUS


Tudo nele me intriga. Tudo nele é o que eu quero pra mim, embora não admita. Eu não sei quem inventou essa coisa de metáfora, mas eu sei todas as suas metáforas de cor. Estou sempre pronta pra um teste sobre ele. Sobre os seus trinta e poucos anos. Sobre seus defeitos imperdoáveis. Sobre sua fragilidade escondida em frases inteligentemente construídas só pra me enganar.

Gosto quando ele faz a barba pensando em mim e sorri para o espelho. (Ele nunca me contou que sorri pensando em mim enquanto faz a barba, mas sei que vez ou outra isso acontece.) Gosto quando ele tenta me convencer que seus testes de múltiplas escolhas são suas melhores opções, e que juntos, somos melhores. (Eu nunca disse isso pra ele, talvez nunca diga, mas sei que juntos somos melhores. Ele me convenceu.)

Tudo em mim é quase silêncio em partituras emprestadas. Gosto de cachecol vermelho em dias frios. Gosto de pés descalços em dias como hoje. Gosto de você. Gosto de meia-estação.

15 comentários:

  1. É isso aí!! Amar é transformar coisas simples do dia a dia num momento especial e único.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Vc gosta.
    E eu gostei do seu texto - e olhe que textos com frases curtas geralmente me fazem desconfiar.
    Irônico e terno - o que mais há a dizer?
    Parabéns pelo estilo, menina.
    Voltarei.

    Quando tiver tempo - realmente de sobra, porque os textos não são curtos -, dê uma passada em www.movieantiqua.blogspot.com

    São contos.

    Abraço e bom 2008!

    ResponderExcluir
  3. hehehehe, adorei a simplicidade em tratar de um tema tão amplamente profundo. Parabens pela inspiração. bj!

    ResponderExcluir
  4. Não tenho muito a dizer, apenas a agradecer, por saber como usar as palavras de modo tão belo!

    Desejo-lhe lindos dias!

    ResponderExcluir
  5. [i] Ah!! JA vi um filme tipo isso

    q a mulher toca violino e tyalz...

    parece muito!!!

    Muito boa a postagem... lembranças e isso é muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Faz um texto ruim pra eu poder dizer algo diferente... Acabou meu estoque de elogios, nem sem mais o que dizer!!! kkk
    Beijooo

    ResponderExcluir
  7. Tati,

    Belo texto!

    Metáforas são o alimento do poeta...

    Gostei do que você disse sobre ser a liberdade um verbo e não substantivo.

    Deve ser conjugada e não adjetivada!


    Abraços, flores, estrelas..

    ResponderExcluir
  8. Ele pode estar certo... Testes de múltipla sempre trazem surpresas e verdades, hehehehehehehehe....

    Sabe que adoro suas metáforas.... Feliz daquele a quem vc as dedica!

    Beijos, Ah, pés descalços. Sempre bom. Em qualquer dia!

    GE!

    ResponderExcluir
  9. Curioso... Apesar do nosso último papo pelo msn, vejo em vc uma mulher sempre apaixonada. Vejo nas entrelinhas de seus textos sentimentos que só quem realmente ama escreve. Detalhes, talvez.... Porque só vemos os detalhes de quem amamos... Será?

    Beijos. GE

    ResponderExcluir
  10. Ou só sorrimos com os detalhes de quem amamos? Corrija-me, se estiver errado.....

    (amor no sentido amplo da palavra, não apenas no sentido homem-mulher)

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Adorei os comentários daqui, e acho que eles merecem alguns "PSs":

    *Rôsangela: vc me faz sentir alguém que escreve de verdade... vou contratá-la pra me elogiar nos dias de crise existencial, acho que vou trocar minhas sessões com a cartomante com um papo no boteco com vc!!! Risos...

    * Edson, vc sempre gentil. Sua gentileza é algo que aos poucos vai se tornando uma necessidade diária. Adoro suas visitas. Adoro visitá-lo.

    * Paulo (ou, como prefiro chamá-lo: My green eyes): me tornei dependente dos seus comentários aqui. Eles me fazem sorrir... sempre!!!! Na maioria das vezes não dedico meus textos pra ninguém. apenas inspiro-me nos sentimentos. Uns que senti, outros que quero sentir. Uma vez já me definiram muito bem: "não sou apaixonada por alguém especificamente, mas sim pela idéia do amor". De vez em quando coloco esses sentimentos em prática.

    ResponderExcluir
  13. kkkkkkkkkk Bestona! Vc não tem que ir na cartomante, tem que ir numa psicóloga e resolver seu problema de baixa auto estima!!! Vc não tem que se SENTIR que escreve de verdade, vc tem que SABER que vc escreve de verdade, ou eu, nem mais nínguém, ia perder tempo lendo! Oras, me deixou nervosa agora! kkkkk
    Um super abraço!

    ResponderExcluir
  14. Acabei de levar uma bronca da Rosangela... hahahahahahahaha! E minha auto estima literária passa por vários picos, vários altos e baixos... risos!!!! O único romance que eu realmente gostei de escrever, não consegui terminar... sério!!! Eu o escrevi por dois anos, e até hj não sei o que o personagem quer de mim. Talvez um final, mas ainda não consegui!!!!

    P.S.: ah, se eu for ao psicológo e contar que não consigo terminar uma estória há anos, ele vai mandar eu voltar pra cartomante, ou então pra uma numeróloga...

    ResponderExcluir
  15. lindo esse texto de amor!
    gostei muito, é romântico na medida certa!
    mesmo o tipo de texto que eu gosto de ler!

    ResponderExcluir